quarta-feira, 30 de abril de 2008

Por Horas


Este ônibus àquele. Naquele vagão não neste. Optar pela escada tradicional, parar e olhar uma vitrine, folhear um livro... por ali que é mais agradável. Uma rápida consulta ao pulso direito e a constatação de que é quase hora, mas é quase e, portanto, uma parada para um café, que é mais um hábito que um desejo. Dobrar a esquina esperando alguém que nunca encontrei. Apertar o passo e perceber que já é tarde e talvez nunca será.

sábado, 26 de abril de 2008

Muito Boa!

Do marido para esposa:

Querida, escrevo para dizer que vou te deixar.
Fui bom marido por 7 anos.
As duas últimas semanas foram um inferno. O seu chefe me chamou para dizer que você tinha pedido demissão e isto foi a gota.
Na semana passada, nem notou que não assisti ao futebol.
Te levei na churrascaria que mais gosta.
Chegou em casa, nem comeu e foi dormir depois da novela.
Não diz que me ama, nunca mais fizemos sexo.
Está me enganando ou não me ama mais.

PS. Se quiser me encontrar, desista.
A Júlia, aquela sua 'melhor amiga' da academia e eu vamos viajar para o nordeste e vamos nos casar!
Ass: Seu Ex-marido.
. .

Resposta da esposa ao marido:

Querido ex-marido, nada me fez mais feliz do que ler sua carta.
É verdade, ficamos casados por 7 anos, mas dizer que você foi um bom marido é exagero.
Vejo a novela para não lhe ouvir resmungar a toda hora. Reparei que não assistiu futebol, mas com certeza, foi porque seu time tinha perdido e você estava de mau humor.
A churrascaria deve ser a preferida da amiga Júlia, pois não como carne há dois anos.
Fui dormir porque vi que a cueca estava manchada de batom.
Rezei para que a empregada não visse.
Mas, com tudo isto, ainda o amava e senti que poderíamos resolver os nossos problemas.
Assim quando descobri que eu tinha ganhado na Loteria, deixei o meu emprego e comprei dois bilhetes de avião para o Taiti, mas quando cheguei em casa você já tinha ido. Fazer o quê? Tudo acontece por alguma razão.
Espero que você tenha a vida que sempre sonhou.
O meu advogado me disse que devido à carta que você escreveu, não terá direito a nada. Portanto, se cuida!

PS. Não sei se lhe disse, mas a Julia, minha 'melhor amiga', está grávida do Jorginho, nosso personal. Espero que isto não seja um problema...
Ass: Milionária, Gostosa e Solteira.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Adorável Ser

Ele, o menino que vivia todo pra dentro, não é raro que me venha visitar, e contar-me suas estórias cheias de vida, lindas estórias sobre mundos fantásticos e distantes - ou nem tanto assim. Meu coração se enche de ternura ao vê-lo de susto, inteiro de liberdade. E ao reconhecer, escondido em um canto de seu sorriso, brotando de seu olhar puro de amor pelo mundo – o seu, e também o das outras gentes – uma vida que um dia foi a minha. E que talvez ainda seja. Talvez, se eu tiver sorte e souber viver como se deve, ainda seja. Eu o recebo carinhosamente em meu colo, acaricio-lhe o rosto e os cabelos, canto-lhe baixinho uma canção de ninar. Quando ele adormece, eu vivo. Quando ele desperta, eu sonho.
. .
* Dedicado ao meu pequeno amor, meu sobrinho-irmão (rapinha de tacho).

terça-feira, 22 de abril de 2008

Cazuza


"Cantando agente inventa.
Inventa um romance, uma saudade, uma mentira...
Cantando a gente faz história.
Foi gritando que eu aprendi a cantar:
sem nenhum pudor, sem pecado.
Canto pra espantar os demônios, pra juntar os amigos.
Pra sentir o mundo, pra seduzir a vida."

sábado, 19 de abril de 2008

Gota D'água


Clarice Lispector

"Não pense que a pessoa tem tanta força assim a ponto de levar qualquer espécie de vida e continuar a mesma. Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso - nunca se sabe qual o defeito que sustenta nosso edifício inteiro. Nem sei como explicar minha alma."

. .

Nesses últimos dias fiquei muito emotiva com o que vi no noticiário. Até onde vai a crueldade, a falta de amor e humanidade das pessoas? Perguntas como essa ecoam na minha cabeça e me deixam com uma lágrima pronta a derramar a qualquer instante. Vejo que a vida torna-se cada vez mais insignificante o que faz aumentar o sentimento de indignação. Enfim, vejo e ouço coisas lamentáveis, coisas que me deixam realmente triste. Literalmente, é a gota d'água.

. .

Não posso deixar de agradecer o presentinho, ou melhor, mimo que a Toop me deu. Obrigada flor! Fico feliz por tê-la em meu circulo de amizades. ;)


quarta-feira, 16 de abril de 2008

A Noite


Estou pensando muito, o que sempre acontece antes de me deitar, na hora em que fecho a porta do quarto. Isso me deixa excessivamente irritada, pois, quando volto para a cama, apesar das metodologias que usei para ter certeza de que fechei portas e janelas, a dúvida me assalta e eu tenho que levantar novamente. Durante a noite acordo para olhar as horas no relógio de pulso, normalmente são 4am, as vezes 5am. Há noites em que levanto três, quatro vezes, ora para ir ao banheiro, outrora beber água. Acaba sendo uma maratona noturna e uma guerra fria contra o sono. Ao final, dissipadas todas as necessidades, adormeço tranqüila. Hoje, por exemplo, já fui ao banheiro, coloquei o copo d'água sobre o criado mudo, fechei a porta e o relógio já está no braço. Entretanto, dormir são outros quinhentos.

terça-feira, 15 de abril de 2008

Romantismo?!


Perdemos repentinamente
a profundidade dos campos
a claridade que juramos
conservar
mas levamos anos
a esquecer alguém
que apenas nos olhou.

sábado, 12 de abril de 2008

Eu!


Esse é um dos raros momentos em que falo em 1ª pessoa e posto uma foto minha. Sim, essa moça fazendo bico sou eu: pálida, olhos pequenos e boca grande. Mamãe sempre diz que essa é uma das minhas fotos que ela mais gosta, por isso a escolha. Ontem resolvi sair da toca e curtir a noite como uma verdadeira boémia. Não faço o estilo baladeira de plantão, sendo por este motivo tão introspectiva. A noite começou com um show do Zé Ramalho, que até certo ponto estava legal, mas a vontade de ir embora batia de 5 em 5 minutos (falta de costume enfrentar aglomerações). Ao final do show rolou boate onde dancei até de manhã, nem lembrava o quanto era bom gastar calorias com isso. Cheguei em casa as 6h e advinhem o que fui fazer? Claro que não! Não fui dormir... liguei a tv e assisti desenho animado até as 8h (tenho paixão, vicio, mania por desenho animado). Desabei num sono profundo acordando só ao meio dia. Não lembrava como é bom sair da rotina ...

Bom final de semana!!! ;)

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Tudo Laranja


Gabriel Garcia Márquez

"É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão. O importante é aproveitar o momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem saber ver."
.
.
.
*Os créditos 'sempre' são devidamente postados logo abaixo a foto.

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Crônica do Amor

Arnaldo Jabor

Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta. O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.
Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca. Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.
Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco. Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então? Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.
Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha. Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo. Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama este cara?
Não pergunte pra mim você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor. É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível. Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?
Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados. Não funciona assim. Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível. Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó! Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso.
Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa.

sexta-feira, 4 de abril de 2008

O Pavão Invejoso



La Fontaine

À deusa Juno, o Pavão
foi se queixar, certa vez,
dizendo que quem o fez
não o fez com perfeição.
.
- Tenho uma voz horrorosa.
Tanto assim que, quando canto,
todos os bichos, de espanto,
se escafedem em polvorosa.
.
Queixou-se a bonita ave:
- Causa inveja, ao pôr-do-sol,
ouvir o canto suave
e doce do rouxinol.
.
Por que, Juno, não me deste
uma voz tão linda igual?
Rogo que me livres deste
canto, que é um berro, afinal!
.
- Deixa de ser invejoso,
Pavão – a deusa falou.
És o bicho mais formoso
que a Natureza criou.
.
És uma ave elegante,
de plumagem delicada.
Tua calda é deslumbrante,
de ricas gemas ornada.
.
Foi bem sábia a Natureza
não dando tudo a só um.
Se o Rato não tem beleza,
tem tino como nenhum.
.
Ao Macaco deu destreza,
musculatura ao Leão;
deu à Raposa esperteza,
deu à Coruja atenção.
.
E nenhum deles se queixa,
conformados com o que são.
Não estás contente? Pois deixa,
Vou te dar uma lição!
.
Queres ter voz maravilhosa?
Pois essa voz te darei.
Mas retiro a esplendorosa
cauda com que te enfeitei.
.
E então o Pavão, aflito,
achando a troca ruim,
falou: - Até que meu grito
não é lá tão feio assim.
.
Moral da História: É do nosso instinto invejarmos sempre o que os outros possuem, mas sem querer largar o que é nosso.
.
"Aos olhos da inveja todo o sucesso é crime."
Provérbio Português

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Narciso


Há milhares de anos atrás, na antigüidade mais remota do povo grego, nas terras da Beócia, nasceu Narciso, filho do rio Cefiso, que tomara à força a ninfa Liríope. Nasciso era belíssimo e sua mãe, ansiosa por saber-lhe o futuro, procurou um famoso advinho: o cego Tirésias. Na luz de sua escuridão Tirésias viu e disse:
- Narciso terá vida longa contanto que não se conheça nunca!
Liríope nada entendeu e mesmo consultando os mais sábios, não conseguiu decifrar o enigma daquelas palavras. Enfim, esqueceu a profecia. Narciso cresceu com os traços e as formas de um deus. Assediado pelas ninfas fugia de todas entretido com os jogos de caça, indiferente ao sofrimento das paixões não correspondidas que despertava.
Um dia, porém, cansado de longa jornada, quedou-se na relva à beira de um lago e, inclinando-se a fim de beber, pois tinha sede, eis que na superfície estática da água, deparou-se Narciso com o reflexo perfeito do próprio rosto, coisa que nunca vira antes em toda a sua vida. Extasiou-se, assim reagiu o jovem, enamorado de si mesmo:
"...o rosto fixo, absorvido com esse espetáculo, ele parece uma estátua de mármore de Paros. Deitado no solo, contempla dois astros, seus próprios olhos, e seus cabelos, dignos de Baco, dignos também de Apolo, suas faces imberbes, seu pescoço de marfim, sua boca encantadora e o rubor que colore a nívea brancura de sua pele. Admira tudo aquilo que suscita a própria admiração. Em sua ingenuidade, deseja a si mesmo. A si mesmo dedica seus próprios louvores. Ele mesmo inspira os ardores que sente. Ele é o elemento do fogo que ele próprio acende. E quantas vezes dirigiu beijos vãos à onda enganadora! Quantas vezes, para segurar seu pescoço ali refletido, inutilmente mergulhou os braços no meio das águas. Não sabe o que está vendo, mas o que vê excita-o e o mesmo erro que lhe engana os olhos acende-lhe a cobiça. Crédula criança, de que servem estes vãos esforços para para possuir uma aparência fugitiva? O objeto de teu desejo não existe. O objeto de teu amor, vira-te e o farás desaparecer. Esta sombra que vês é um reflexo de tua imagem. Não é nada em si mesma; foi contigo que ela apareceu, e persiste, e tua partida a dissiparia, se tivesses coragem de partir."
Mas Narciso não partiu. Ali permaneceu, paralisado de amor pela imagem aprisionada no espelho d'água. Não comia, não bebia para não se afastar por nem um segundo da imagem no lago, não dormia. Definhou. Morreu, afinal, de fome, de sede, de exaustão. Depois de morto, ainda assim não teve paz: nas profundezas do Hades, Narciso continua sua auto-contemplação debruçado às margens do rio Estige. Na superfície da terra, nos bosques, as ninfas pretendem fazer as cerimônias fúnebres mas eis que o corpo desapareceu e no seu lugar brotou a flor amarela e branca que hoje conhecemos pelo nome daquele que amou somente a si mesmo.
.
"Na primeira quem quer cai, na segunda cai quem quer."
Provérbio Brasileiro.

quarta-feira, 2 de abril de 2008

O Leão e o Rato


Esopo

Um Leão dormia sossegado, quando foi despertado por um Rato, que passou correndo sobre seu focinho. Com um bote ágil ele o pegou, e estava pronto para matá-lo, ao que o Rato suplicou: "Ora, se o senhor me poupasse, tenho certeza que um dia poderia retribuir sua bondade". Rindo por achar rídícula a idéia, assim mesmo, ele resolveu libertá-lo. Aconteceu que, pouco tempo depois, o Leão caiu numa armadilha colocada por caçadores. Preso ao chão, amarrado por fortes cordas, sequer podia mexer-se. O Rato, reconhecendo seu rugido, se aproximou e roeu as cordas até deixá-lo livre. Então disse: "O senhor riu da idéia de que eu jamais seria capaz de ajudá-lo. Nunca esperava receber de mim qualquer favor em troca do seu! Mas agora sabe, que mesmo um pequeno Rato é capaz de retribuir um favor a um poderoso Leão."
.
Moral da História: Os pequenos amigos podem se revelar os melhores e mais leais aliados.
.
"Na adversidade é que se prova a amizade."
Provérbio Português

terça-feira, 1 de abril de 2008

A Cigarra e a Formiga


La Fontaine

Tendo a cigarra cantado durante o verão,
Apavorou-se com o frio da próxima estação.
Sem mosca ou verme para se alimentar,
Com fome, foi ver a formiga, sua vizinha,
pedindo-lhe alguns grãos para agüentar
Até vir uma época mais quentinha!
- "Eu lhe pagarei", disse ela,
- "Antes do verão, palavra de animal,
Os juros e também o capital."
A formiga não gosta de emprestar,
É esse um de seus defeitos.
"O que você fazia no calor de outrora?"
Perguntou-lhe ela com certa esperteza.
- "Noite e dia, eu cantava no meu posto,
Sem querer dar-lhe desgosto."
- "Você cantava? Que beleza!
Pois, então, dance agora!"
.
Moral da História: Os que não pensam no dia de amanhã, pagam sempre um alto preço por sua imprevidência.
.
"Mais vale prevenir que remediar."
Provérbio Português